Biossegurança em saúde: qual é o papel da porta automática?

O risco de contaminação é um dos principais focos de atenção da biossegurança em saúde. Entre o conjunto de ações que devem ser adotadas por hospitais, laboratórios, clínicas e outras instituições do segmento para mitigar esse risco, está a instalação de portas automáticas nesses ambientes.

A automatização, de maneira geral, é recomendada nesses espaços e, além das portas, também se aplica às torneiras, aos sistemas de energia emergenciais e aos mecanismos de controle de acesso, por exemplo. O projeto arquitetônico, portanto, deve procurar ampliar a utilização da automação no local, considerando tanto as atividades ali desenvolvidas quanto o perfil do público que frequenta o ambiente, além de seguir as determinações específicas relacionadas à vigilância sanitária.

“A biossegurança é o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, visando a saúde do homem, dos animais, a preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados”, conceituam Pedro Teixeira e Silvio Valle, autores do livro Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar, conforme destacado pelo portal da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz).

Cabe à arquitetura entender os impactos da atividade em questão para pessoas, animais e meio ambiente. Dependendo do segmento de atuação, há regras mais rigorosas a serem cumpridas. Porém, é certo dizer que as portas automáticas beneficiam qualquer instituição da área da saúde, ainda que sua utilização não seja obrigatória.

Benefícios da porta automática para a biossegurança em saúde

As portas automáticas facilitam o cumprimento dos procedimentos de biossegurança em saúde, atenuando alguns dos riscos que precisam ser mitigados ou eliminados nesses ambientes. Nesse sentido, vale a pena destacar três benefícios decorrentes da automatização das portas:

  • redução dos riscos de contaminação;
  • proteção do ambiente;
  • controle de acesso.

Vamos abordar em detalhes cada um desses pontos. Acompanhe!

Redução dos riscos de contaminação

O sistema automatizado de abertura e fechamento das portas dispensa o manuseio e evita a contaminação decorrente do toque em superfícies. Essa é uma forma de proteger o local e as pessoas da propagação de agentes contaminantes, como vírus e bactérias. Por esse motivo, a instalação das portas automáticas pode ser feita em qualquer área da edificação, sendo ainda mais recomendada nos ambientes em que há maior circulação de pessoas, como a entrada e a recepção, ou que exigem maior rigor em relação à assepsia, como centros cirúrgicos e laboratórios.

Proteção do ambiente

Dependendo da classificação de risco do ambiente, um procedimento de biossegurança exigido é a manutenção das portas fechadas. É o caso dos laboratórios, cujas portas devem permanecer fechadas durante o trabalho.

A instalação de portas automáticas nesses espaços assegura o cumprimento dessa exigência, na medida em que o fechamento se dá de forma automática — evitando que, por falha humana, a porta fique aberta desnecessariamente.

Controle de acesso

Um reforço a mais de segurança relacionado à biossegurança em saúde é a instalação de portas automáticas com controle de acesso. Em determinadas situações, essa também será uma exigência, dependendo do tipo de atividade desempenhada no local. Nos demais casos, o controle de acesso é opcional, mas pode ser uma escolha estratégica para espaços onde é necessário reforçar a segurança e o monitoramento.

Podemos pensar nas farmácias ou outros locais destinados ao armazenamento de remédios e insumos médicos, que são áreas sensíveis, que exigem controle rigoroso, assim como laboratórios e centros cirúrgicos. Vale considerar, ainda, salas e departamentos administrativos. Enfim, estamos falando de ambientes que devem restringir a circulação, permitindo a entrada apenas de pessoas autorizadas.

A porta automática com controle de acesso contempla bem essa necessidade. Há diferentes recursos de validação de acesso que podem ser utilizados, como leitor biométrico pela íris, uso de cartão magnético ou mesmo senha. Além disso, é possível vincular esse recurso a um sistema central de vigilância e segurança. Outro recurso possível de ser adotado é o registro das informações sobre pessoas que estiveram no ambiente, dependendo do sistema escolhido.

Esses três benefícios evidenciam a importância da porta automática para biossegurança em saúde. Porém, não custa lembrar que a automatização das portas também promove melhores condições de acessibilidade e conforto para todos.

As normas de biossegurança em saúde estabelecem padrões construtivos que devem ser observados com rigor pelas empresas do setor. Por isso, ao desenvolver o seu projeto nessa área, conte com o apoio de parceiros especializados, capazes de criar uma solução sob medida para a empresa. A VipDoor é especializada em desenvolver soluções personalizadas e oferece um serviço diferenciado em relação à concorrência. Entre em contato com nossos especialistas e veja como podemos colaborar com o seu projeto.

Leave a Reply

Your email address will not be published.